terça-feira, 17 de julho de 2018

Fim de Curso!

Ao término de quatro anos e meio turbulentos por intempéries voláteis e externas a minha vontade tenho que agradecer Àquele o qual me fez a sua imagem e semelhança para não tratar-me como acepção. O justo Deus, do sincero, honesto e justos, àquele o qual dignifica o abatido e injustiçado, por ter-me dado forças de resistir ao acusador, aquele que sendo pai da mentira veio apenas para matar, roubar e destruir ainda que através de terceiros.
Respeito a todos o qual o esforço e honestidade foram integrais e efetivos fatores para a aprovação no curso. Ainda que não tenha necessitado virar madrugadas pelo simples motivo de absorver com facilidade as disciplinas de humanas, não tira igualmente meu mérito por vocação e inteligência evidente, mas ainda que pudesse ter melhor desempenho fiquei em recuperação (A3) apenas três vezes tendo desempenho destacado em relação aos demais. Porém, sobretudo honestidade no que se dignifica a não ficar nas costas de ninguém e se ficar ser no mínimo grato. Compromisso se demonstra como parte da competência, assim como a honestidade, sinceridade e vocação. Coisas que em relação a alguns certamente tenho de sobra. Ter orgulho de méritos não é vergonha ao contrário dos que tem orgulho em caluniar e humilhar.

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Sagrado e Profano: Uma Breve discussão

O fanatismo sempre é generalizador, e a generalização sempre será uma falácia, um sofisma do pensamento. Costuma-se atribuir a estes que qualquer coisa que não esteja presente na bíblia é contrário a ela demonstrando-se o viés da estreiteza do pensamento na ausência de discernimento entre extra-bíblico, bíblico e antibíblico. Não é verdade, se assim o fosse o evangelho por ter sido escrito em hebraico e latim não serviria para o português e o mandarin seria profano e excluiria os chineses. Mas a bíblia se trata apenas de um manual de redenção humano, um normativo razoavelmente histórico para os costumes a valores, daí não vamos encontrar lá descrições proféticas de como construir um avião ou a equação de Einstein para a relatividade, mas voar num avião não é profano e a relatividade não é anticristã por apenas não estar na bíblia. 
O estigma é taxativo e meramente preconceituoso com o diferente e original mesmo que não contradiga a moral cristã. Sobretudo os fanáticos alegam a inserção de signos e costumes pagãos na sociedade ainda que cristianizados, mas assim como o rock não foi criado na igreja não significa que ele não possa ser usado por tal, afinal o maior símbolo cristão é uma criação pagã. Menciono a cruz, uma arma romana, uma civilização pagã que venerava a prostituição cultual e utilizava-se dessa cruz para torturar e matar condenados em infinitos campos a perder de vista com centenas de crucificados. A diferença era simples, Jesus usou a maldição para seu sacramento e triunfando sobre ela a cristianizou. O mesmo se aplica a filosofia de onde vem a teologia, o estudo do espaço-tempo, os OVNIs e etc. Não contradizendo a doutrina e os valores nem sua verdade, não é anticristão.

terça-feira, 10 de julho de 2018

Diário de um Vulnerável Segregado

Tive meu celular roubado, mas não por um mendigo ou necessitado faminto que desabrigado buscava algo o que comer, mas uma pessoa que ao invés de vender o celular furtado sabendo o nome e telefone de contato ao desbloquear a tela, passou o tempo de vida "ocupada" dele, acessou meus contatos e bagunçar meu whatsapp com a mera pretensa de me prejudicar. A necessidade pode definir o certo, mas qual a necessidade deste em fazer isto apenas para prejudicar um autista que mal dinheiro de transporte tem pois até o passe livre reservado por lei negam?

Fico revoltado com a covardia que me cerca por pessoas que falam da realidade apenas quando convém e num tom de conformismo e aceitação da injustiça e covardia. É o mesmo tipo de socialismo prostituído que opta por defender as elites maçônicas que fazem o que quer e pegam o que quer contra nosso direito, mas me atacar como se fosse elite sendo um autista desempregado e com bronquite que anda apenas de bicicleta, pois nem casa e carro tem. É o mesmo tipo de gente mesquinha o qual me proíbe ter mulher para que tenham todas sem a menor dificuldade, mas falam que é desigualdade ter feito dezenas de livros com esforço intelectual e eles não. É o absurdo da injustiça e opressão saber que alguns que dizem defender e lutar por algo quando não passam de relés jardineiros do bosque do mal. Mas nada mais lúcido que os pés no chão da imparcialidade, de alguém que está vulnerável como eu e em que se quer cogita-se a possibilidade de me defender ou ser defendido, pois se fosse rico seria recebido com o tapete vermelho na policia sob os flashes do jornalismo como o líder destes que curiosamente fora preso por um juiz maçom que lhe nega até mesmo o pedido de entrevista. Estes sim tem o que merecem, pois quem se mistura com porco farelo come.
O adversário como âmago do maligno anseia exclusivamente escrever apenas três finais pra mim: miséria, exploração sexual ou morte (sumir é uma variável oculta deste) pois odeiam a liberdade, talento e direito alheio. Aparenta ser um plano a fim de certificar e garantir a pobreza, como negar um benefício de um parente inválido pelo fato da responsável ganhar poucos reais a mais de um salário mínimo, mas a promessa desses é quando me lançar na miséria me dar um cobertor para ocultar a injustiça que promovem. Seja como for estarei sozinho como sempre estive, pois como característica comum aos nazistas estes não admitem que tenha amigos confiáveis ou mulher, não sem deturparem o conceito semântico em si.

segunda-feira, 2 de julho de 2018

O Fim da Faculdade: O que mudou?


Após 4 anos e meio turbulentos, entre bullying e intempéries opressoras concluo a faculdade a despeito de tudo com bom desempenho. Não fiquei reprovado nenhuma vez e fiquei apenas três vezes em recuperação, normalmente matérias que saiam do escopo de ciências humanas. Apenas outras vezes fiquei em recuperação tirando estas, todas por ter faltado as provas finais de um semestre por estar sofrendo de depressão e indícios de síndrome de pânico em decorrência de traumas.
Naturalmente que comorbidades no âmbito do espectro autista sejam comum numa minoria sofrida como a de autistas. Digo sofrida por não bastar dificuldades sociais e sensoriais o bullying é comum como o que me ocorreu na faculdade, e diga-se por toda minha vida.
Sabemos que o conceito de minoria em sociologia designa não uma quantidade, mas uma posição social desfavorável, vulnerável e(ou) marginalizada ao contrário de elites opressoras que lutam apenas para dominar tudo, ter tudo e controlar todos.
Todavia ainda que a esquerda em tese diga defender de negros, gays a deficientes como eu, mesmo com o ganho do laudo em 2017 nada mudou pra melhor na minha vida. Pelo contrário, muitas vezes as facilidades que favorece o autismo num intelecto e habilidades específicas parecem criar um ranço de inveja o qual alguns veem nisso a tentativa de explorar minhas habilidades contra meus direitos sob a desculpa vitimista de alguns que não tem iguais facilidades intelectuais. Obviamente que se ignora por completo as dificuldades sociais e sensoriais que por si só impõe limitações como muitas vezes se escarnecesse disso, e literalmente usa como desculpa para atrapalhar aumentando a desigualdade que vivo.
Vivo literalmente privado de direitos básicos por aqueles que não discernem tendenciosamente a diferença de privilégios e direitos. Isolado, há muitos anos não saio com amigos ou vou a festas e encontros sociais, não tenho há mais de uma década mulher como se meu direito de constituir família fosse suprimido a fim de que inúmeros outros usufruíssem as minhas custas ao promover crimes de tráfico de pessoas e exploração sexual. A sensação de segregação não é enganosa ou ilusória, já fui ameaçado, humilhado e agredido física e verbalmente e cada avanço a duras penas parece ser penalizado por uma força que luta para ampliar abismos da desigualdade de quem não se sente parte da sociedade como eu. Enquanto vivo sob constante calúnia mas se eu entrego crimes como descrito acima não é perdoável, pois sou 'X-9'.
As calúnias são frequentes e repetitivas onde mesmo um olhar inseguro é julgado como se fosse uma atitude criminosa. Para um autista a sensação de olharem dentro de seus olhos é de invasão e desconforto a maior parte das vezes, a menos que tenha um momento descontraído de integração por afinidades isso não é de bom grado de minha parte, mas mesmo isso não é perdoado ou facilidade ao se perceber uma indiscutível dificuldade.
Nunca tive tratamento adequado, mas mesmo mediante as dificuldades sempre tive que andar por ai sozinho e ainda ajudar pessoas que a maioria das vezes me fazem mal.
Tenho grande facilidade em ciências humanas o qual amo, seja história, filosofia ou psicologia, mas essas supostas vantagens nunca me trouxeram nada a não ser a inveja alheia, assim como meus mais de 40 livros em 10 anos como traço de alta habilidade, mas que a mínima vantagem que possuo é desculpa de coisas como justificar a fraude de meus livros para dá-los a autores "menos favorecidos", tenha dó. Sou vulnerável não por vitimismo mas pelo fato de que não há quem me defenda ante os conluios para me massacra seja caluniosamente ou de maneiras ainda mais vexatórias (e criminosas). Assim concluo a faculdade, quando deveria estar comemorando um gosto amargo da vida que levo, como sempre isolado por ter cometido o único crime factual, ser diferente e ter um intelecto melhor.
Que venha o recalque de invejosos que não tem a mesma instrução que eu. Não usarei meu canudo para me exibir mas tb não aceitarei ser humilhado como antes. A defesa de meus direitos como de muitos deve ser, se preciso, com agressividade quando não respeitado. Já sofri muito e não aceito gente abusiva. Fim do desabafo.

Sessão de Fotos Julho

Mais um mês, mais fotos! Vejam algumas fotos tiradas por mim em Julho de 2018. Clique nas imagens para ampliar.















sexta-feira, 22 de junho de 2018

É o Fim!

Por meio desse texto anuncio o fim de minhas atividades mediante a gravidade da descoberta que fiz que doravante pensava permear apenas o panteão de deuses mitológicos romanos ou lendas celtas de elfos e gnomos em florestas encantadas. É uma força avassaladora e irresistível o qual tenho de render minha vida, direitos e sonhos, tenho que vender minha alma e dar tudo que é meu para eles! Por este motivo estes seres superiores me obrigam a abandonar meus dons, talentos e sonhos, sejam com fotografia, literatura ou design.

Diante desse poder inexorável o qual suplanta a dissipar mesmo o livre-arbítrio não temos escolha, não temos querer ou direitos, resta apenas sermos igualmente suplantado por sua vontade e desejos.
Sou qualquer um, um resto ao contrário de seres superiores e iluminados. Quando sangram emana luz, quando defecam saem pétalas de rosas, quando morrem um brilho ardente é iberado matando todos que veem, eles são inimputáveis, invulneráveis, intocáveis e tem o superpoder misterioso e privilegiado de curvar a luz, as leis físicas, as profecias bíblicas, a verdade e a lei humana a sua volta em seu favor! Eles podem qualquer coisa comigo pois eles tem esse direito acima de qualquer direito que ache ter! É um direito divino que rivaliza com o próprio Deus! Não se podem contrariar, negar, ou desobedecer ainda que contra qualquer moral, ética ou lei conhecida o qual são maiores e estão acima, resta a humanidade apenas se submeter e rastejar clamando misericórdia em adoração pois eles são deus, amém!

Abandonem sua esperança em Deus, apenas eles são salvadores, apenas eles tem a centelha divina da esperança mas apenas caso eles gostem de vocês.

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Onde Estais Seu Deus?

Os poderes corruptos do mundo veem na maldade mais que uma expressão de liberdade, mas exercício de poder, um poder escorado em dois princípios, a opressão e o segredo. Ao contrário do Deus que existe por si só, sendo Deus mesmo que nada faça, o conceito profano de deídade apenas existe pela subtração do poder alheio, repressão e opressão, tornando os oprimidos extensão de seu poder por vias da exploração. A bíblia inúmeras vezes deixa isso implícito, reforçando a ideia do Deus que entregou livremente por quem nEle crê e se arrepende ao contrário do deus que entrega inocentes por si mesmo, a exemplo de Baal e Moloque.
Mas quando dizes onde está nosso Deus na hora da aflição e dor, quem estais mais perto, o homem na Terra ou o Deus do céu? Porquanto a maldade, injustiça e pobreza não passas de um teste com aqueles que o veem. Se o homem pode fazer algo para cessar, Deus nada faz, pois os milagres começam onde o humanamente possível acaba. O mesmo Cristo condenado a cruz ao indagar onde estava seu Pai pode condenar aquele que ao invés de água lhe deu vinagre, pois por acaso Cristo não és o faminto, o nu, o enfermo a espera do que comer, vestir e ser curado? Quem, no entanto, és tudo que sabendo nada fazes o podendo ao saber? Melhor perdoar a adultera que o traidor.